Notícias


Incêndios em Moria terão sido ateados na sequência da revolta de alguns requerentes de asilo colocados em isolamento.

O maior campo de refugiados na Grécia, em Moria, na ilha de Lesbos, ficou praticamente destruído depois de vários incêndios, após confrontos entre os cerca de 13 mil migrantes, (segundo as autoridades).
Até agora não há informação de vítimas, os bombeiros continuam sem conseguir aceder às Tendas e Contentores de Alojamento.


Segundo o Presidente da Câmara da pequena localidade de Moria, Yiannis Mastroyiannis, o incêndio deflagrou depois dos 35 requerentes de asilo que tiveram resultado positivo no teste de Covid-19, terem recusado ser transferidos para um Centro de Isolamento. São milhares de migrantes em fuga, incluindo doentes com Covid-19.

remar sos e os refugiados em Moria, Lesbos remar sos e os refugiados em Moria, Lesbos


Destruição total” foi o relato de um dos voluntários da Remar no Campo de Refugiados.


“Todo o campo de refugiados está destruído. Desde a 1:00 hora da madrugada que recebemos pedidos de ajuda pelas chamadas de refugiados que fogem das chamas, por causa dos ventos fortes, as chamas espalharam-se rapidamente e destruíram quase tudo, especialmente os contentores e as tendas”, informou o voluntário da Remar SOS.

 

remar sos e os refugiados em Moria, Lesbos remar sos e os refugiados em Moria, Lesbos remar sos e os refugiados em Moria, Lesbos

Milhares de migrantes fugiram do Acampamento e dirigiram-se à localidade vizinha de Mytilene, tendo a polícia bloqueado o acesso à cidade, situada a cerca de oito quilómetros dali, para evitar uma emergência sanitária. O Campo de Refugiados estava em quarentena, devido a um surto de covid-19. O responsável governamental do campo de refugiados, Manos Logothetis, disse que o Campo tinha sido completamente evacuado, e que o desafio agora é encontrar alojamento para as 13 mil pessoas que lá viviam.


A REMAR SOS está presente neste Campo de Refugiados desde o seu começo. Até agora temos ajudado a milhares de pessoas, diariamente, com a alimentação e outros bens essenciais. Não sabemos o que vai acontecer daqui para frente, mas estamos confiantes que vamos conseguir ultrapassar esta desgraça. Já não é a primeira vez que isto acontece neste campo de refugiados, mas desta vez, foi uma perda enorme com relação às anteriores.

7 


Milhões de refeições são distribuídas anualmente
 

2.5 


Milhões de pessoas são beneficiadas 

15.000 


Horas de Trabalho Voluntário


Agradecemos a Deus por todos os nossos voluntários quererem estar unidos para ajudar. Infelizmente não pudemos retardar a infraestrutura para distribuir alimentos e outros bens essenciais até que tudo seja reorganizado.

Pode ajudar sempre que quiser estamos de mãos abertas para ajudar e receber ajuda!

Colaborar

Fonte TSF

Compartilhar

Nossas Redes Sociais

 

 

Países com Apoio Direto da Remar Portugal

 

 

 

 

 

 

 

 

Paises Onde a Remar Atua no Mundo

 

 

Ver Mapa

Newsletter Mensal Form

Ao assinar ao nosso newsletter mensal está a aceitar a nossa Política de Privacidade

*Obrigatório